26 de out de 2009

Led Zeppelin e a Mitologia Tolkeniana

Quando o Led Zeppelin lançou seu primeiro trabalho, em 1969, uma música instrumental inspirada nas mais profundas raízes da cultura irlandesa passava despercebida: o nome daquela música era Black Mountain Side e, apesar de pouca notoriedade, seu nome instigou alguns críticos da banda quanto a origem e menção que aquela música. E foi assim que o Led Zeppelin expressou suas primeiras referências às grandes histórias escritas por John Ronald Reuel Tolkien.

Além de grande escritor, Tolkien foi professor de filologia (ciência que estuda as origens dos idiomas) na Universidade de Oxford. Sempre foi fascinado pela lingüística, e após combater na Primeira Guerra, vendo e aprendendo ao longo do tempo nos campos de batalha europeus, se inspirou no que viu e criou para si um "mundo secundário" (como ele próprio descrevia), complexo e cheio de vida. Surgia então Arda e muitas histórias ali se passariam, épocas e tempos que foram divididos em "Eras", com seres imaginários e existentes no nosso mundo. Tolkien sempre associava cada elemento de suas histórias com o mundo em que vivemos, desde as configurações geográficas até o comportamento dos seres, povos e suas culturas. Dividiu Arda em regiões, continentes e países, e para cada cultura inventou um idioma e um alfabeto. Hoje, em livros especializados no tema, existem até dicionários com as expressões mais utilizadas do idioma Sindarin (o idioma mais popular dos elfos, o mais belo dos povos que viviam em Arda). É correto afirmar que tanto a pronúncia quanto a escrita destes idiomas são muito semelhantes aos que se usavam na Europa Feudal, assim como o próprio desenho de Arda se assemelhava ao velho continente.

Tolkien terminou seus trabalhos em meados de 1955, quando o rock ainda era uma criança que sequer engatinhava. Porém, suas histórias já eram famosas e se tornaram inspirações culturais para vários estilos: literatura, artes cênicas e a música.

Quando o Led Zeppelin foi formado, em 1968, ficava uma sensação de que aquela banda, com integrantes provenientes de outros conjuntos que não deram muito certo, iria fracassar. Inclusive o próprio nome da banda sugere: quando eles ainda se chamavam "The New Yardbirds", Keith Moon, o excêntrico e polêmico baterista do The Who, fez uma brincadeira falando que eles "iriam afundar como um balão de chumbo". Chumbo, em inglês, significa lead, e como naquela época os grandes balões eram os zeppelins, a banda decidiu adotar o nome apenas transformando lead em led.

Sabe-se que Black Mountain Side, na Terra-Média tolkeniana, era aonde Sauron havia forjado o seu poderoso o um anel (the one ring, em inglês), mas como aquele tema apenas era instrumental, poucas pessoas notaram esta relação. Mas no segundo trabalho da banda, em 1969, uma música co-escrita por Page e por Plant deixaria bem claro da onde surgia tanta inspiração para o seu blues-rock: Ramble On, a faixa 7 daquele álbum, contava mais uma das histórias que se passara em Arda, a partir de uma narrativa onde personagens, atitudes e lugares eram descritos abertamente.



T'was in the darkest depths of Mordor, I met a girl so fair. (Nos mais sombrios lugares de Mordor, conheci uma garota tão atraente)


But Gollum, that evil one, crept up and slipped away with her,her, her....yeah. (Mas Gollum, e o maligno, sorrateiramente a levaram e durmiram com ela)


E foi "perambulando" (ramble on, em inglês), que Frodo conheceu uma garota atraente (referência ao Um Anel), mas Gollum, e o maligno, apareceram e dormiram com "ela". Claramente este trecho da letra descreve o momento em que o Um Anel era destruído e todo o mal da Terra-Média se acabava.

24 de out de 2009

O nascimento de Pantagruel

Pantagruel é o personagem imaginário de François Rabelais, um renascentista francês. Em uma época onde o feudalismo havia desmoronado, Rabelais criou uma série de 5 livros sobre os gigantes Gargantua e o bom Pantagruel, onde fazia diversas críticas sobre a cultura da Idade Média e à Igreja, defendendo que o homem era o centro do universo.

Rabelais formou-se médico em Montpellier, doutorando-se posteriormente. Foi perseguido pela Igreja, como muitos de sua época, sendo acusado de heresia. Também foi perguido pela Sorbonne, um colégio integrante da Universidade de Paris e a faculdade mais importante de sua época, sendo acusado de obseno.

Quando Pantagruel nasceu, sua mãe morreu. Seu pai, o Gargantua, viu tudo sob olhares perplexos, pois ao mesmo tempo que via a sua esposa, Badebec, morta, também via o nascimento de seu amado filho. Seu cérebro estava atordoado com a imensa dúvida entre chorar e rir, pois havia um conflito de tristeza com felicidade. Gargantua perguntava pra si mesmo: "Como posso rir ou chorar quando a minha mente está tão transtornada?", "Oh, meu bom Deus, o que eu fiz pra você me punir assim?", "Por que não me levastes ao invés dela?". E rapidamente Gargantua dava risadas alegres, pois vinha em sua mente um motivo para sentir-se bem: o nascimento de Pantagruel. E é nesse momento que ele agradece a Deus por ter-lhe dado um belo filho, tão alegre e tão gentil. E assim Gargantua vai fazendo diversos questionamentos à Deus, inclusive perguntando sobre o porquê de Deus não ir ao enterro de Badebec em seu lugar, já que o mesmo a havia levado, segundo Gargantua, injustamente. Provavelmente, um dos diversos trechos de sua obra que serviram como argumento para Rabelais ser acusado de heresia.

E é nesse clima tenso que está ambientada a música "Pantagruel's Nativity" do álbum Acquiring The Taste de Gentle Giant. A letra da música contém diversos trechos do segundo livro de Rabelais.

"Como posso rir ou chorar
Quando
a minha mente está tão transtornada?
Badabec teve que morrer

Belo Pantagruel nasceu

Chorarei? Sim.
Mas pelo o quê?

E então rio e demonstro o meu desprezo"


Pantagruel's Nativity é uma verdadeira aventura ambientada com clima medieval, tenso e confuso sobre paradoxo da perda da amada esposa e o nascimento de um filho. É encantador o teor assombroso e a sensação de melancolia que a música nos dá desde os sintetizadores do seu início até a forma descrita como Pantugruel chega ao mundo.