24 de out de 2009

O nascimento de Pantagruel

Pantagruel é o personagem imaginário de François Rabelais, um renascentista francês. Em uma época onde o feudalismo havia desmoronado, Rabelais criou uma série de 5 livros sobre os gigantes Gargantua e o bom Pantagruel, onde fazia diversas críticas sobre a cultura da Idade Média e à Igreja, defendendo que o homem era o centro do universo.

Rabelais formou-se médico em Montpellier, doutorando-se posteriormente. Foi perseguido pela Igreja, como muitos de sua época, sendo acusado de heresia. Também foi perguido pela Sorbonne, um colégio integrante da Universidade de Paris e a faculdade mais importante de sua época, sendo acusado de obseno.

Quando Pantagruel nasceu, sua mãe morreu. Seu pai, o Gargantua, viu tudo sob olhares perplexos, pois ao mesmo tempo que via a sua esposa, Badebec, morta, também via o nascimento de seu amado filho. Seu cérebro estava atordoado com a imensa dúvida entre chorar e rir, pois havia um conflito de tristeza com felicidade. Gargantua perguntava pra si mesmo: "Como posso rir ou chorar quando a minha mente está tão transtornada?", "Oh, meu bom Deus, o que eu fiz pra você me punir assim?", "Por que não me levastes ao invés dela?". E rapidamente Gargantua dava risadas alegres, pois vinha em sua mente um motivo para sentir-se bem: o nascimento de Pantagruel. E é nesse momento que ele agradece a Deus por ter-lhe dado um belo filho, tão alegre e tão gentil. E assim Gargantua vai fazendo diversos questionamentos à Deus, inclusive perguntando sobre o porquê de Deus não ir ao enterro de Badebec em seu lugar, já que o mesmo a havia levado, segundo Gargantua, injustamente. Provavelmente, um dos diversos trechos de sua obra que serviram como argumento para Rabelais ser acusado de heresia.

E é nesse clima tenso que está ambientada a música "Pantagruel's Nativity" do álbum Acquiring The Taste de Gentle Giant. A letra da música contém diversos trechos do segundo livro de Rabelais.

"Como posso rir ou chorar
Quando
a minha mente está tão transtornada?
Badabec teve que morrer

Belo Pantagruel nasceu

Chorarei? Sim.
Mas pelo o quê?

E então rio e demonstro o meu desprezo"


Pantagruel's Nativity é uma verdadeira aventura ambientada com clima medieval, tenso e confuso sobre paradoxo da perda da amada esposa e o nascimento de um filho. É encantador o teor assombroso e a sensação de melancolia que a música nos dá desde os sintetizadores do seu início até a forma descrita como Pantugruel chega ao mundo.

21 comentários:

  1. Ae, Parabéns pelo blog!

    Não conhecia essa história do Pantagruel, muito interessante...

    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Pra quem não conhece, tem uma banda com o nome de Three Friends, com 3 ex-integrantes do Gentle Giant, que toca essa música ao-vivo.

    http://www.youtube.com/watch?v=y_ryz-9DSAQ

    ResponderExcluir
  3. Cara seu blog tá show!!

    essa história é bonita ...

    parabéns!

    ResponderExcluir
  4. tive uma aula 4 dias atrás sobre esse cara

    ResponderExcluir
  5. Porra veio texto o caralho, adorei, nunca tinha ouvido falar... O melhor texto que li hj entre os blogs que comentei

    http://cemiteriodaspalavrasperdidas.blogspot.com/2009/10/o-sentido-do-lago.html

    ResponderExcluir
  6. O resgate histórico feito dessa forma tão simples e singela, agregado a música nos desperta a aprofundar cada vez mais pelos caminhos misteriosos e facinantes do passado, uma bela opção para os que se interessam por personagens não tão divulgados e falados, ótimo post, mantenha sempre o nível rs.

    beijos...

    ResponderExcluir
  7. ahauhauahua enquanto vocês ae em cima falam difícil, eu só tenho algo a dizer: OBRIGADO PELA APROVAÇÃO e continuem acompanhando. Vem muito mais por ae!

    ResponderExcluir
  8. Hummm, personagem interessante.. blog bom

    ResponderExcluir
  9. legal, minha literatura/história está bem enferrujada

    ResponderExcluir
  10. Excelente dica, adoro leitura medieval com tom crítico-político!
    __
    http://planetabandonado.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. Gostei da forma como vc explicou a história de Pantagruel, para em seguida fazer o link com a música. Belo post!

    CHINFRAS e TALS

    ResponderExcluir
  12. Coisas medievais são interessantes.
    Muito boa a matéria!

    ResponderExcluir
  13. Galileu, Lutero... o que teve de gente que na Idade Média tentou de todas as formas se adequar para evitar maiores perseguições ou mesmo a fogueira ou enforcamento, não foi brincadeira... eis ai mais um belissimo e até mesmo desconhecido exemplo que vc nos apresenta!
    Excelente postagem!! Gosto de ler blogs que agregam informações assim, de uma maneira interativa e com informações pouco abordadas!(por assim dizer) Parabéns pela iniciativa e pela escolha do tema!

    ResponderExcluir
  14. E tem ainda The Adventure of Panurge, outra música do Gentle Giant sobre o assunto...

    ResponderExcluir
  15. Grande banda progressiva. Em seu som, além das referências medievais, muito funk, jazz, música erudita e tb eletricidade e eletrônica, óbvio! Mas atemática medieval tá longe de se restringir a essa música e a "The Advent of Panurge" [esta é bm jazzistica]. Conferir "Raconteur Troubador", do disco Octopus! Gracias. Axé.

    ResponderExcluir
  16. Eu não conhecia naum ,mas é bem interesante.
    parabéns!!

    www.sarau2eteres.blogspot.com

    Daniel Lima

    ResponderExcluir
  17. Ae Du, sua cara essa parada... psico total! Muhaha

    Bem loko o layout do blog! Adicionei aos favs aqui pra passar de quando em vez!

    []s

    ResponderExcluir
  18. Eu naum conhecia,este personagem e banda,achei interessante...Sucesso com o blog T+

    ResponderExcluir